Gre-Nal 420 foi digno de uma final do Campeonato Gaúcho. Ao final da partida, o empate de 0 a 0 do jogo de ida se repetiu, e a decisão foi para os pênaltis na Arena. O Grêmio superou o rival por 3 a 2, e diante de 51 mil pessoas, levantou a taça do 38º título gaúcho. A equipe comandada por Renato conquista mais um título para a extensa galeria com o bi do Estadual.

Apostas

Caso o Grêmio fosse campeão vencendo a partida, o apostador teria o retorno de R$ 2,10 para um. Uma vez que tricolores e colorados empataram, a cotação para a igualdade no placar teve o retorno de R$ 3,40 para um, no Apostas Online.

Final

Primeiro tempo 

O clássico começou quente por conta das jogadas ríspidas já nos primeiros minutos de partida. Muito nervosos em campo, os times não criaram oportunidades de início. Só para ilustrar, antes dos 10, já haviam recebido cartão o gremista Kannemann e o colorado Pottker. 

Aos 15 minutos, a bola chutada por Everton de fora da área teve a defesa de Marcelo Lomba, que espalmou para o meio e André completou para o gol. Mas o assistente apontou impedimento. O auxílio do vídeo foi demorou cerca de três minutos para confirmar que André estava adiantado, o auxiliar acertou e o impedimento ser aprovado. 

Embora o gol anulado, o Grêmio apresentava mais presença ofensiva e incomodava a defesa colorada com muita movimentação de seus atacantes. Aos 29, Jean Pyerre arriscou de longe, à esquerda de Lomba. 

Apesar do domínio no ataque, o Grêmio sofria nas chegadas do Inter pelo alto. Em falta cobrada na área, Guerreiro saltou ganhando no ar e obrigando a Paulo Victor fazer grande defesa. 

Segundo tempo 

Por jogar em casa e a fim de conquistar o título ao lado de sua torcida, o Grêmio pressionou também na volta do intervalo. No início da metade final, o Tricolor dominava, mas foi o Inter quem assustou primeiro. Aos 13 minutos, Edenilson fez bela jogada pela esquerda, deu drible sobre Maicon e finalizou forte. Paulo Victor foi bem mais uma vez e espalmou no canto. Logo depois, na cobrança de escanteio, Moledo cabeceou e goleiro segurou. 

Em seguida, Renato colocou Luan no lugar de Jean Pyerre para a loucura da gremistada. Em campo, o Grêmio voltou a ter mais posse e aos 23 minutos, Bruno Cortez foi puxado pelo calção por Parede dentro da área. O árbitro não marcou pênalti em cima da jogada, mas foi solicitado para que conferisse no vídeo e dessa forma, apontou pênalti. 

Então os colorados se revoltaram. D’Alessandro, do banco de reservas, reclamou exageradamente com o quarto árbitro e recebeu cartão vermelho. O comandante do Inter, Odair Hellmann, também acabou expulso no lance. 

Quando o centroavante André, finalmente foi fazer a cobrança, oito minutos depois, a bola não seguiu o caminho das redes. Lomba intuiu o canto e defendeu. Depois que Renato mandou a campo Michel e Tardelli, nas vagas de Maicon e Alisson, quase mais nada aconteceu na partida. 

Apenas nos acréscimos Everton teve duas chances em jogadas individuais. Na primeira, arrancou pela esquerda e tentou por cobertura, mas a bola passou ao lado da trave. No minuto seguinte, buscou o fundo e bateu, carimbando a trave, para fora. 

Pênaltis 

Assim como na partida de ida da decisão, os goleiros foram os destaques nesta noite. Nas penalidades, Paulo Victor, que defendeu três, foi melhor que Marcelo Lomba, salvando duas. O Inter começou batendo e o goleiro gremista defendeu o chute de Camilo. Tardelli e Sobis acertaram e Everton isolou. Guerrero e Matheus Henrique converteram. Cuesta e Michel erraram os penúltimos. Nico parou em Paulo Victor e André teve a recuperação sonhada: 3 a 2.