Renato Portaluppi, ou simplesmente Renato, foi um dos maiores jogadores da história do Grêmio, sendo campeão do mundo em 1983. Agora como treinador do Tricolor Gaúcho, vai se firmando também como um dos maiores com a conquista do 38º Campeonato Gaúcho, o sexto título de Renato na carreira pelo Grêmio.

Títulos

São quase três anos de Renato como técnico do Tricolor, trinta meses para ser mais exato. Nesse hiato, sob seu comando foram 180 jogos, 96 vitórias conquistadas, 48 empates e 36 derrotas. Com esse aproveitamento superior a 60%, o Tricolor mantém o padrão de jogo e levantou nesse tempo 6 taças, são elas: 

  • Copa do Brasil (2016) 
  • Taça Libertadores da América (2017) 
  • Recopa Sul-Americana (2018) 
  • Campeonato Gaúcho (2018 e 2019)
Renato
FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Depois da partida contra Inter, decidida de maneira dramática nos pênaltis, o técnico ainda no gramado da Arena brincou com jornalistas que estava ficando cansado. Mas segundo ele, “cansado de dar volta olímpica.” Confira as palavras do treinador: 

– O título vai para o meu grupo, nossa torcida. Muita gente merece esse título. Olha que coisa linda? 50 mil pessoas, primeiro título estadual na Arena… Esse grupo maravilhoso, essa torcida maravilhosa. Eu estou cansado, cansado de dar volta olímpica.

Prêmio a Paulo Victor

Já na entrevista coletiva na sala de imprensa, Renato vestiu uma coroa de rei e revelou uma promessa ao goleiro Paulo Victor, salvador de três penalidades do Inter na decisão. Além da premiação normal, o técnico revelou que vai dar um bônus de R$ 50 mil ao goleiro, para a surpresa do presidente Romildo, que estava ao seu lado e deverá “pagar a conta”: 

– Falei para o Paulo Victor: ‘Você vai entrar para a história do clube como o Marcelo (Grohe) entrou’. E ele pegou três pênaltis, foi a grande estrela. Na euforia, na emoção, de coração, dei de presente R$ 50 mil para ele. Eu não tenho esse dinheiro. Vou buscar em algum lugar. Título não tem preço. Todo bicho eu pego e dou sempre para os funcionários. Não pego o dinheiro do clube. Dou pros departamentos do Grêmio, que precisam mais do que eu. O Paulo Victor levou merecidamente. Ele foi fundamental no momento que mais precisávamos.